· 

Confinamento - Cuidar de mim e da minha família

<a href="http://www.freepik.com">Designed by Freepik</a>
Crédito Foto - FreePik.com

Estamos todos a ajustar-nos a um novo 'normal'. Talvez ainda estejamos a gostar da novidade ou talvez algumas coisas estejam a dar cabo dos nossos nervos. Aqui estão algumas ideias e pensamentos úteis para cuidar de si e da sua família durante o confinamento, afinal estamos a viver uma maratona, não um sprint! Fica aqui uma partilha de Christine Daniel, de FamilyLife UK.

 

 

Devo admitir que não dormi muito bem por várias noites após o anúncio do governo que deveríamos fechar tudo e ficar em casa. Dei por mim a acordar muito cedo durante alguns dias e sempre à procura de coisas para limpar, o que é realmente estranho porque eu ODEIO limpar. O que é isto que está a acontecer? Também me senti distraída, como se tivesse “sapos aos saltos” na minha cabeça… e triste ao mesmo tempo. Acho que fiquei em choque. Também reconheço aqui sinais de ansiedade.

 

O facto é que todos estamos a ajustar-nos para encontrar um novo normal. Com esses ajustes, surgem muitos pensamentos, sentimentos e stress associados, estejamos ou não conscientes disso. Pode ser até que ainda estejamos com o factor novidade e a apreciar o facto de estar em casa. No entanto, com o passar do tempo, os nossos relacionamentos sofrerão pressão e, por isso, reunimos algumas dicas para ajudá-lo a cuidar de si e das pessoas com quem está a partilhar a casa.

 

 

CUIDAR DE SI PRÓPRIO

 

Seja gentil consigo mesmo - todos nós processamos de maneira diferente o que está a acontecer. Algumas pessoas precisam de conversar e expressar os seus sentimentos imediatamente, outras processam internamente e precisam de tempo e espaço. Se se sente infeliz, considere entrar em contato com um amigo de confiança e peça para ele ouvir e ajudá-lo a descobrir o que o está a incomodar. Tente não deixar que estas coisas se acumulem.

 

Cuidado com o que consome - muita midia pode levá-lo à loucura. Embora considere importante manter-se informado, pode limitar o ter que ouvir todas as más notícias. Vale a pena colocar limites em algumas coisas boas também, por exemplo senti necessidade de silenciar algumas notificações do Whatsapp, porque elas estavam a pingar continuamente e percebi que isso estava a contribuir para os 'sapos' na minha cabeça!

 

Desenvolva uma boa rotina - levante-se no horário habitual, vista-se e faça algum exercício. Ficar de pijama pode ser divertido ocasionalmente, mas vestir-se adequadamente ajudará a sentir-se mais normal. Ar fresco e exercícios contribuem para o seu bem-estar, principalmente se parar para ouvir o canto dos pássaros e observar o surgimento da primavera. Se realmente não pode sair então explore o YouTube, lá encontra uma variedade de rotinas de exercícios para todos os gostos, o exercício é bom para a sua saúde física e mental.

 

Seja grato - é sabido que uma "atitude de gratidão" pode ajudar a mudar a sua mentalidade para uma visão mais positiva. Nossos avós podem ter chamado a isto: “contar bênçãos”. Observe as pequenas coisas e seja intencional em expressar a sua gratidão. Isso também nos ajuda a manter a perspectiva, algumas coisas realmente são "problemas de primeiro mundo".

 

Seja criativo - não estou a dizer que vamos todos nos tornar no próximo Picasso. O que estou a sugerir é que pode ser bom usar o tempo extra que temos positivamente. Quando é que normalmente temos tempo para desacelerar e tentar algo novo? Talvez possa tentar pintar e desenhar (tente o YouTube para se inspirar); ou leia sobre uma figura ou país histórico que gostaria de visitar um dia; experimente um novo tipo de culinária… o objetivo é pensar fora da caixa.

 

Fique quieto - uma dimensão espiritual pode dar outra perspectiva diferente. Dedicar um tempo para ficar quieto e sossegado todos os dias, meditar sobre algo como os Salmos pode ser muito útil. Os Salmos podem ajudar-nos a explorar toda a gama de emoções humanas: admiração e adoração, raiva, sofrimento, depressão e muito mais. O Salmo 46 descreve uma agitação desesperada no mundo e, no entanto, o salmo diz "fica sossegado e sabe que Eu sou Deus", assegurando-nos que Deus está connosco e em todas as circunstâncias. Tente ler ou ouvir alguns Salmos e fale com Deus sobre os seus pensamentos e sentimentos, isso é a oração. Pode encontrar conforto em muitos salmos (por exemplo, 23, 27, 34, 91 e 139) e em conversar com Deus em oração. Se não tem certeza sobre estas coisas de Deus, www.suaescolha.com é um lugar seguro para explorar algumas das grandes perguntas.

 

 

CUIDAR DO SEU RELACIONAMENTO COM O SEU PARCEIRO

 

Ser gentil - geralmente subestimados, pequenos actos de bondade podem fazer uma grande diferença num relacionamento. Reserve um momento para considerar: o que eu poderia fazer para tornar a vida do meu parceiro um pouco mais fácil hoje? Preparar-lhe um chá? Cozinhar o jantar? Massajar os seus ombros? Ouvir as suas angústias e mostrar empatia em vez de o evitar? Jogar um jogo com as crianças? Pequenos gestos diários atenciosos podem realmente ajudar.

 

Criar espaço - Não estamos acostumados a viver e, possivelmente, a trabalhar uns em cima dos outros. É útil falar sobre as suas necessidades de tempo e espaço juntos e separados. Podem ser muito diferentes um do outro e vale a pena aceitar que as necessidades do nosso parceiro não são as mesmas que as nossas. Também é útil chegarem a acordos quando o espaço físico da vossa casa é limitado, revezando-se para ter aquele lugar favorito. Sair sozinho para um tempo de exercício diário também pode ser útil.

 

Gerir bem os conflitos - Nas nossas vidas "normais", era muito mais fácil ignorar os problemas, porque poderíamos fugir. É provável que coisas que possam ter ficado debaixo do tapete agora subam e causem tensão e possivelmente discussões. Podem ser os hábitos domésticos que mexem com os nossos nervos, por exemplo, um de vocês é organizado e arrumado e o outro tem uma abordagem muito descontraída da casa. Precisará de decidir se consegue conviver com os hábitos do seu parceiro e conscientemente “deixar estar” , afinal, nenhum de nós é perfeito. Caso contrário, conversem para tentar encontrar outra maneira de fazer as coisas com as quais os dois possam conviver. Resolver bem as divergências vale muito a pena, mas nem sempre é fácil, especialmente se um problema se tornou um padrão de comportamento. Experimente a app Toucan - Módulo de conflitos, cheio de ideias construtivas e gratuito (em inglês).

 

Ser pró-ativo - fale sobre algumas coisas positivas que podem fazer juntos para além de assistir Netflix: Façam um puzzle ou um quiz on-line;  uma caminhada ou andar de bicicleta no bairro; tomar um café virtual ou até planear um jantar com amigos pelo Skype; façam um bom caril a partir do zero ou cozinhem algo juntos. Experimente investir ativamente no seu relacionamento (a app Toucan - em inglês - pode ajudar a criar conversas interessantes sobre vários tópicos).

 

Ver o lado engraçado - o humor pode ajudar a gerir o stress. Parece haver muito humor a circular nas redes sociais e parte disso é realmente divertido. Há momentos em que é útil escutar os sentimentos e a ansiedade um do outro, e há momentos em que é útil encontrar coisas para rir juntos. Não use o humor para gozar ou menosprezar, mas encontre coisas das quais se possam rir para aliviar o stress.

 

Orar juntos - Se partilha uma perspectiva de fé, orar juntos pode ser uma das coisas mais edificantes a se fazer, ao entregarem as vossas preocupações a Deus juntos em oração. When2Pray  é um recurso on-line gratuito (em inglês) para ajudar os casais a orarem juntos. (veja também a nossa página de facebook pois partilhamos os cartões de oração)

 

 

CUIDAR DAS CRIANÇAS

 

Há muita ajuda prática online para o ensino doméstico e encontra-se muitas coisas divertidas para fazer com as crianças. Achamos que poderia ser útil mencionar duas coisas:

 

As crianças vão perceber a sua deixa. Eles assistem e veem tudo, sua ansiedade e qualquer zanga ou discussão. Ninguém espera que alguém seja super-homem ou super-mulher, mas vale a pena ter uma conversa em casal e fazer um plano de como será a vida em casa; Parece que estamos a participar numa maratona, não num sprint. Trabalhem positivamente em estar do mesmo lado para o bem das crianças. Alguma estrutura e rotina em casa ajudará a todos. Lidem com qualquer desacordo longe das crianças, se possível, e tentem jogar em equipa, apoiando-se mutuamente.

Seus filhos precisarão de mais conforto do que horas de trabalho escolar. Achamos este conselho de um professor muito útil: 

 

“Caros pais com crianças em idade escolar,

 

Podem estar inclinados a criar uma programação minuto a minuto para os seus filhos, com grandes expectativas em horas de aprendizagem, incluindo atividades on-line, experiências científicas e relatórios de livros. Vai limitar o acesso à tecnologia até que tudo esteja pronto! Mas aqui está a coisa ...

 

Nossos filhos estão tão assustados quanto nós agora. Nossos filhos não só podem ouvir tudo o que está a acontecer ao seu redor, mas também sentem a nossa tensão e ansiedade constantes. Eles nunca experimentaram algo assim antes. Embora a ideia de não ir à escola tenha parecido incrível, eles provavelmente imaginavam momentos divertidos como férias de verão, não a realidade de ficar presos em casa e de não ver os seus amigos.

 

Nas próximas semanas, assistirão a um aumento nos problemas de comportamento dos seus filhos. Pode ser ansiedade, raiva ou protesto porque eles não podem fazer as coisas como normalmente faziam - isso acontecerá. Verão mais colapsos, birras e comportamento do contra nas próximas semanas. Isso é normal e esperado nestas circunstâncias.

 

O que as crianças precisam agora é de se sentirem confortadas e amadas. Sentir que tudo vai ficar bem. E isso pode significar que tenha que “rasgar” a sua agenda perfeita e amar um pouco mais os seus filhos. Brincar no exterior e fazer caminhadas. Fazer biscoitos e pinturas. Jogar jogos de tabuleiro e assistir a filmes juntos. Fazer experiências científicas em conjunto ou encontrar excursões virtuais ao jardim zoológico. Começar um livro e ler em família. Aconchegar-se debaixo de mantas quentes e não fazer nada.

 

Não se preocupe com a regressão na escola. Todas as crianças estão neste barco e todas ficarão bem. Quando voltarmos à sala de aula, todos iremos corrigir o seu curso e encontrá-los onde eles estiverem. Os professores são especialistas nisso!  Não se zangue com os seus filhos porque eles não querem estudar matemática. Não grite com seus filhos por não seguirem a programação. Não imponha 2 horas de tempo de aprendizagem, se estiverem a resistir.

 

Se posso deixar-lhe aqui uma coisa, é isso: no final de tudo isso, a saúde mental dos seus filhos será mais importante do que as suas habilidades académicas. E como eles se SENTIRAM durante esta fase permanecerá com eles muito tempo depois de tudo isto acabar, mais do que a memória do que eles fizeram. Portanto, lembre-se disso todos os dias.”

 

Por Christine Daniel Familylife UK - Abril 2020 


Foto: https://br.freepik.com/fotos-gratis/familia-em-casa_4465388.htm

 

#COVID19 #pandemia #família #familylifeportugal …

Write a comment

Comments: 0

 

 

CONTACTOS

NACIONAL e LISBOA - Júnia Barbosa - 914702199 - info@familylife.pt

PORTO - Miriam Pego - 936114343 - porto@familylie.pt